Espetáculo da Cia Mungunzá em parceria com diretor Nelson Basquerville resgata a história de seu irmão Luis Antonio, a trans Gabriela, mais de 30 anos depois do último contato com a família. O premiado espetáculo é atração desta quinta (12) no Festival de Dança de Londrina

O diretor Nelson Baskerville coloca em cena sua própria história e abre, por meio dela, uma discussão maior sobre preconceito, intolerância e aceitação no tocante à questão de gênero. Seu irmão mais velho, homossexual, Luis Antonio, desafia as regras de uma família conservadora dos anos 1960 e parte para a Espanha. Esse é o mote para que o espetáculo “Luis Antonio – Gabriela” trace um resgate daquela narrativa de vida e das difíceis relações familiares que culminaram num fim trágico. A montagem teatral – apresentada pela primeira vez em Londrina após uma longa circulação de sucesso por todo o país e pelo exterior – estará no palco do Teatro Ouro Verde, às 20h30, nesta quinta-feira (dia 12).

Classificada como “documentário cênico”, a peça tem início no ano de 1953, com o nascimento de Luis Antonio, filho mais velho de cinco irmãos, que passou infância, adolescência e parte da juventude em Santos até ir embora para Espanha aos 30 anos, rejeitado pela sociedade. Construído a partir de documentos e dos depoimentos da família e dos amigos do protagonista, o espetáculo narra sua história até o ano de 2006, data de sua morte em Bilbao onde vivera até então como Gabriela.

“Em 2002, recebi uma ligação de minha segunda mãe, Doracy – segunda mãe porque minha primeira faleceu após o meu parto, fazendo meu pai, Paschoal, viúvo com 6 filhos, casar com a Dona Doracy, viúva com 3 filhos, quando eu tinha 2 anos. Ela me ligou pra dizer que Luis Antonio havia morrido na Espanha. Luis Antonio, pra mim, era aquele irmão, 8 anos mais velho, que sempre mantive na sombra. Só alguns poucos amigos sabiam da sua existência, ele era aquele que, além de me seduzir e abusar sexualmente, fazia com que muitos dedos da cidade de Santos fossem apontados pra nós, os ‘irmãos da bicha’, ‘a família do pederasta’ e outros nomes. Sou obrigado a confessar que a notícia da morte dele não me abalou nem um pouco”, conta o diretor Nelson Baskerville.

Uma das irmãs, a advogada Maria Cristina, no entanto, foi atrás de papéis, atestado de óbito, documentação para o espólio, e acabou descobrindo que Luis Antonio estava vivo e morava em Bilbao. A partir disso, a família começou a tentar formatar e entender aquela lacuna de 30 anos que os separavam dele. A irmã foi encontrá-lo. Luis Antonio chamava-se agora Gabriela, tinha sido uma estrela das noites de Bilbao, era viciada em cocaína e era portadora do vírus da Aids, dentre outras doenças. “Através da Maria Cristina, passamos então a ter notícias dele até sua morte, agora verdadeira, em 2006”, conta o diretor.

O espetáculo é um resumo dessa vida conturbada de Luis Antonio – Gabriela, dando voz ao seu silêncio. “As perguntas mais frequentes dos amigos ao saberem da história eram: mas vocês nunca mais se viram? Resposta: nunca. Por que não o trouxeram de volta ao Brasil quando o encontraram doente? Resposta: porque não. Você não foi nem ao enterro? Não. Fiz esse espetáculo”, conclui Baskerville. Quem interpreta a personagem de Nelson na peça é a atriz Veronica Gentilin. Os atores aprenderam a tocar instrumentos para a execução da trilha sonora original, composta por Gustavo Sarz. Já a luz do espetáculo foi inteiramente construída pela equipe e é operada de dentro do palco. Em Londrina, a atriz Virginia Cavendish, muito conhecida por seus trabalhos no cinema e na televisão, vai substituir a atriz Sandra Modesto, do elenco original.

Poética e sensível, imenso sucesso de público e crítica, a montagem ganhou inúmeros prêmios, dentre eles o Shell de Melhor Direção e o APCA de Melhor Espetáculo de 2011. Mas é no imediato presente, nesses tempos em que a sociedade regride a passos largos na discussão pública de gênero, que a peça ganha ainda mais atualidade e faz pensar sobre aceitação, preconceito e rancor. Ela já percorreu diversas cidades do Brasil e fez 7 temporadas em São Paulo, somando, aproximadamente, 350 apresentações e mais de 35 mil espectadores.

Serviço:
Luis Antonio – Gabriela
Cia Mungunzá de Teatro e Nelson Baskerville
(São Paulo – SP)
Dia 12/10, às 20h30, no Teatro Ouro Verde
Classificação indicativa 16 anos.
Ingressos: R$10 e R$5 (meia)

Programação no site:
www.festivaldedancadelondrina.art.br
Informações: (43) 3342-2362

Bilheterias:
Secretaria da Funcart
Rua Senador Souza Naves, 2380
Fone: (43) 3342-2362
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9 às 11h30 e das 13 às 19 horas

Loja Shop Ballet
Rua Pio XII, 64 – loja 3
Fone: (43) 3323-4717
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9 às 18 horas, e aos sábados, das 9 horas ao meio-dia

Teatro Ouro Verde (bilheteria)
Rua Maranhão, 85
Fone: (43) 3322-6381
Horário de funcionamento: de 6 a 14 de outubro, a partir das 16 horas

O Festival de Dança de Londrina tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e da Prefeitura Municipal de Londrina, por meio do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura). O evento é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná), com apoio institucional da Funcart e da Casa de Cultura da Universidade Estadal de Londrina. Apoios: Ministério da Cultura e da Comunicação da França; Ministério do Desenvolvimento Internacional da França; Institut Français, TransArte, Loja Shop Ballet/Só Dança; Casa da Dança; Pastel Mel; Rádio UEL FM e Folha de Londrina.

Categories: Notícia