Bailarino e diretor congolês Faustin Linyekula apresenta solo no Festival de Dança com histórias de sua aldeia, no ex-Zaire, assolada pela guerra e pela violência. Londrina será o primeiro destino do artista na turnê brasileira de 2017

Agathe Poupeney

O dançarino e diretor Faustin Linyekula passou os últimos dez anos contando histórias sobre sua terra natal, a República Democrática do Congo, ex-Zaire, ex-Congo Belga, que se transformou numa nação de corpos e destinos tristes, irremediavelmente marcados pela violência. Mas como deixar de lado as palavras para fazer a memória de um corpo falar? Como deixar os companheiros de viagem e voltar-se para si mesmo? A dança foi a linguagem que ele escolheu para “falar” das suas memórias, que serão apresentadas no espetáculo “Le Cargo” (“A Carga”) neste sábado (14), às 21 horas, no Teatro Ouro Verde. Apesar de ser internacional, as partes de texto do espetáculo serão faladas em português.

Em “Le Cargo”, Linyekula tomará um trem que já não existe, cujos trilhos foram engolidas pela floresta; irá procurar por danças que não são mais dançadas, foram proibidas pelo despertar espiritual das religiões importadas; encontrará um grande mestre de percussão que não toca mais porque se tornou pastor. O bailarino sempre entendeu a dança como momento de partilha, um momento de sair da solidão. Mas, com esse espetáculo – seu primeiro solo -, sentiu necessidade de se recolher e voltar-se para si mesmo. “Voltei para as minhas primeiras memórias, voltei para Obilo, uma pequena aldeia a 80 km de Kisangani, onde nasci. O que resta da casa do meu pai? Depois de todos esses anos de guerra, as pessoas ainda dançam, ao cair a noite, as danças que, quando criança, foram proibidas para mim?”

Faustin Linyekula e os Studios Kabako – O coreógrafo congolês tem se dedicado à dança contemporânea e a contar sobre o legado de terror e pobreza deixado pelas guerras em seu país. Estudou literatura e teatro em Kisangani, no antigo Zaire, e, quando a universidade foi fechada, partiu para o Quênia, onde co-fundou a primeira companhia de dança contemporânea daquele país, a Gàara, em 1997. Na França, fez residências com as coreógrafas Régine Chopinot e Mathilde Monnier. Em 2001, optando pelo caminho de resistência em território africano, retornou ao Congo e criou os Studios Kabako, voltados a criações multidisciplinares. Em 2005, obteve carta branca do Centro Nacional da Dança francês para criar um festival, do qual participaram dez companhias africanas até então desconhecidas na Europa. Desde 2006, os Studios Kabako passaram a ser sediados em Kisangani, onde se apresentam performances de dança, teatro, música e vídeo, ocupando diversas áreas da cidade, especialmente na periferia. “Le Cargo” circulou por cidades da Europa, África, América do Sul e América do Norte. O artista começa a turnê brasileira de 2017 em Londrina, seguindo posteriormente para Fortaleza, Recife e Caruaru.

O crítico Brian Seibert, do The New York Times, definiu o espetáculo assim: “A sensação de perda era forte como as danças e as histórias repetidas simultaneamente, reunidas enquanto Linyekula deslocava-se para a gravação do que havia dito antes. Na escuridão, vinham estremecimentos de reconhecimento, momentos quando a dança parecia combinar com as histórias iluminando dois tipos de narrativas. Nesse ponto, Linyekula havia desligado as luzes, enquanto o laptop disparava imagens de sua viagem para casa, e a gravação reiterava o seu desejo de retornar a Obilo e dançar. Por meios simples, ‘Le Cargo’ retrata tanto como ele não poderia voltar, quanto como ele poderia nos levar junto”.

Serviço:
Le Cargo
Faustin Linyekula
(República Democrática do Congo)
Dia 14/10, às 21 horas, Teatro Ouro Verde
Classificação indicativa: Livre
Ingressos:
R$10 e R$5 (meia)

Programação no site:
www.festivaldedancadelondrina.art.br
Informações: (43) 3342-2362

Bilheterias:
Secretaria da Funcart
Rua Senador Souza Naves, 2380
Fone: (43) 3342-2362
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9 às 11h30 e das 13 às 19 horas

Loja Shop Ballet
Rua Pio XII, 64 – loja 3
Fone: (43) 3323-4717
Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9 às 18 horas, e aos sábados, das 9 horas ao meio-dia

Teatro Ouro Verde (bilheteria)
Rua Maranhão, 85
Fone: (43) 3322-6381
Horário de funcionamento: de 6 a 14 de outubro, a partir das 16 horas

O Festival de Dança de Londrina tem patrocínio da Caixa Econômica Federal e da Prefeitura Municipal de Londrina, por meio do PROMIC (Programa Municipal de Incentivo à Cultura). O evento é uma realização da APD (Associação dos Profissionais de Dança de Londrina e Região Norte do Paraná), com apoio institucional da Funcart e da Casa de Cultura da Universidade Estadal de Londrina. Apoios: Ministério da Cultura e da Comunicação da França; Ministério do Desenvolvimento Internacional da França; Institut Français, TransArte, Loja Shop Ballet/Só Dança; Casa da Dança; Pastel Mel; Rádio UEL FM e Folha de Londrina.

Categories: Notícia