Instituto África Viva
(Guiné Conacri/Brasil)

Foto – Ivson Miranda

Dia: 15 de outubro (domingo)
Horário: 16 horas
Local: Concha Acústica
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: Livre

Nas savanas da Guiné Conacri – ou República da Guiné –, um grupo étnico chamado Malinkê, pertencente à etnia Mandé, desenvolveu uma forte tradição oral que é preservada até hoje pela música dos tambores djembê e pelos Griôs – uma casta especial de poetas/cantores/músicos/religiosos, que detém toda essa tradição. Para os Malinkês, os rituais religiosos e cotidianos não existem sem a música, a dança e a presença do Griô. A cantora, bailarina e compositora Fanta Konatê traz a Londrina as tradições de seu país natal, num espetáculo que mistura a arte tradicional malinkê com a contemporaneidade dos balés da capital Conacri. Filha do mestre Djembefolá Famoudou Konatê, sua família é uma das mais representativas daquela arte tradicional. Fanta percorre festivais de jazz, de músicas étnicas e de dança encantando plateias pela força de sua presença cênica e pela beleza de sua voz. Com a Troupe Djembedon, apresenta ritmos ancestrais dos tambores da Guiné Conacri: djembê, dununs e ntamas preservados desde o Império Mandinga, no século XIII, com os ritmos associados às
situações do cotidiano nas aldeias malinkês. Fanta solta sua voz na Concha Acústica para fechar o Festival 2017 e convida ao palco participantes da oficina de “Dança Africana”.

Ficha técnica:
Vocal e coregrafia: Fanta Konatê
Músicos: Luis Kinugawa, Koria Konate, Barba Marques, Manu Batista e Fabio Serra
Realização: Instituto África Viva

Categories: Espetáculo